437

CARE: Conhecer Aceitar e Regular Emoções II turma 1

Apresentação

A escola, anteriormente entendida como transmissora de conhecimentos e habilidades culturalmente acumulados, tais como, ler, escrever, calcular e saberes sobre o mundo físico e social é, nos dias de hoje, concebida como promotora de uma educação mais abrangente, integrando quatro pilares que a UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) reconhece - conhecer, ser, fazer e conviver (Prette & Prette, 2022). A escola é também o local que reúne caraterísticas ideais para a promoção da saúde mental, quer na prevenção, quer na intervenção dirigida a variáveis como o bem-estar (Simões et al., 2018). As intervenções em aprendizagem social e emocional, ensinam competências de inteligência emocional e melhoram as atitudes das crianças e adolescentes face ao self, aos outros e à escola, promovem o desenvolvimento de comportamentos positivos, o aumento do rendimento académico, a redução de problemas de comportamento negativo e problemas emocionais, e a diminuição de comportamentos de risco (Taylor at al., como referido por Ascenso, 2022; Corconan, Cheung, Kim & Xie como referido por Ferreira, 2020). Os docentes são cada vez mais reconhecidos como influenciadores das aprendizagens das crianças e jovens em domínios que vão para além da aprendizagem académica, tal como a aprendizagem socioemocional (Carvalho et al., 2019). Estes desempenham um papel fundamental na saúde mental dos seus alunos, assim como, na identificação precoce de sinais de sofrimento mental e na intervenção, através da prestação de ajuda ou encaminhamento dos alunos para a rede de suporte adequado (Maclean & Law, 2022). Por outro lado, aumentam a eficácia das intervenções em saúde mental em meio escolar, promovendo a sustentabilidade e resultados positivos a longo prazo das intervenções (McLaughlin et al., 2012). São estes quem passa mais horas junto da criança, modelando-a a cada momento, pelo que, é essencial que reúnam ferramentas que melhor se adequam à promoção da saúde mental da comunidade educativa. Não obstante, as crenças e motivações destes profissionais ou, eventualmente, atitudes negativas e estigma perante a doença mental, podem revelar-se dificultadoras da identificação de sinais de sofrimento. Esta situação poderá estar associada ao sentimento de incapacidade face às necessidades das crianças e/ou à necessidade de formação na área da saúde mental (Maclean & Law, 2022). De acordo com Varela et al., (2018), cerca de 76% dos professores portugueses apresentam sinais exaustão emocional. Os mesmos autores consideram fundamental investir na escola, nas condições de trabalho e na formação de professores de modo a promover o seu bem-estar e realização profissional para dar resposta aos desafios da escola atual. Promover o desenvolvimento socioemocional potencia, tanto a alunos como a adultos envolvidos, o desenvolvimento de atitudes, conhecimentos e competências, necessárias à identificação e regulação de emoções bem-sucedida, com consequências positivas nas decisões e nas relações (Carvalho et al., 2019).

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Objetivos

• Promover a saúde e o bem-estar mental, em toda a comunidade educativa; • Promover o desenvolvimento de competências socioemocionais • Consciencializar para a importância do autoconhecimento no processo da autorregulação emocional • Instruir e treinar técnicas de regulação emocional • Capacitar para a identificação e encaminhamento de situações que justifiquem um acompanhamento especializado

Conteúdos

• Saúde mental versus doença mental • Introdução às competências Socioemocionais • Estratégias de regulação emocional • Identificação de sinais de alerta de sofrimento emocional em si e nos outros • Como ajudar/encaminhar situações identificadas

Formador

Paula Cristina da Cruz Castelhano

Dina Maria da Rocha Inocêncio

Início: 20-07-2024
Fim: 20-07-2024
Acreditação: CFAEBM-492324
Modalidade: ACD
Pessoal: Docente
Regime: Presencial
Duração: 6 h
Local: Auditório Atrium Mira, Mira

INSCREVER-ME